POETA

POETA

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

NASCE O DIA







Nasce o dia, o sol esse ainda ensonado
vai por entre as núvens tropeçando
despertando, e seus raios timidamente
vão afastando a trevas,
e sua claridade se faz raiar nos faz despertar
e ai novo dia luminoso e belo começa

Todas as manhãs
esses magnificos raios de luz
e de esperança chega a todos nós,
porque o sol quando nasce
é para todos. mas nem todos,
embora o vejamos ou sentimos,
podemos dele disfrutar em toda a sua plenitude
por razões várias,
mas mais por falta de fé e de esperança.

Todas as manhãs
esses raios pela janela de meu quarto entram,
me invadindo mas não me despertando,
mas sim me iluminando a razão é simples e óbvia,
ainda sua luz não tem raiado
quando as trevas ainda são imensas
ou existe um rasgo de luar
eu a pé me encontro
contemplando a natureza

Olhando as pequenas gotas de orvalho
saindo das pétalas das flores
como quem chora de alegria
aguardando um novo amanhecer
carinhosamente as afego
e sinto seu perfume no ar a pairar,
as regos com amor e carinho
e através deste simples gesto
as vejo despertar!...

A claridade do sol não tarda
e ao longe sua luz alaranjada avermelhada
rasga os céus
e nos começando mirando
por dentro e por fora
tal espelho embaciado.
a lua timida e envergonhada
se vai encondendo por entre as nuvens,
no horizonte distante.

A passarada acorda e canta
revoando pelos ares
como que dando graças
por um novo alvorecer
um novo dia começa,
um novo dia de esperança
um novo dia de labuta,
de amor de intrigas
e de guerras que bem podiam ser dispensadas
dando sim somente lugar
ao amor à paz e à faternidade.

Se todos nós nos dedicassemos um pouco
observando a natureza,
o nascer do sol,
ouvindo os passáros a cantar,
vendo as flores despertarem
tal moça enamorada
saindo de sua insónia de ignorância

Talvez os corações
ficassem mais macios
mais puros,
mais belos
mais sãos
porque acima de tudo
fazemos parte da natureza
por Deus criada,
e viver é belo
quando dentro de nós houver amor
quando o raiar do sol nos iluminar

Quando nós pequenos seres,
pecadores tivermos olhos
para ver
coração para sentir
que não estamos sós
o sol quando nasce
é para todos
e com os outros
deveremos dividi-lo
com a paz
com o amor
com a compreensão

Que nasça em cada nós,
todos os dias a humildade,
o amor a generosidade
para que possamos viver
em paz em harmonia,
em ajuda mutua,
que todos os dias
um novo raiar
nos ilumine
seja uma recompensa do Senhor
e nos enche de amor nossos corações.

Não sejamos cobardes
nos encondendo nas trevas
onde a luz é inexistente
e maléfica
ai nada de bom
poderemos encontar,
mas sim na claridade do dia,
na claridade da nobreza
na claridade pura
de nossos sentimentos
e com luz radiante
auxiliando os que necessitam

Repartindo com eles
essa luz de esperança
de amor
e de faternidade l
uz bela que reluz
como oiro
e sem ela não podemos viver
luz imaculada,
luz pura,
que nos ilumina
nos afastando das trevas.

Que em todos nós haja
uma restia de luz
fraca que seja,
ela nos iluminará
o caminho da virtude
nos dará dignidade humana
e tal como o sol
que todos os dias
nos vem abençoar
sejamos também nós
um raio de luz puro,
simples mas singelo
para podermos viver em paz.

1 comentário:

  1. Belo poema, estimado amigo e poeta! Abraços da amiga Arlete Piedade

    ResponderEliminar